Homenagem pública a Dra Gracinda de Sousa

 

Caros colegas

Caros colaboradores

 

A Escola Europeia de Medicina Transfusional (ESTM) organizou de 4 a 6 de Outubro, em Barcelona, o curso “ Controlo de Riscos de Qualidade na Transfusão Sanguínea”.

Este curso foi realizado em Memória da Dra Gracinda de Sousa, excelente profissional da Medicina Transfusional e membro muito ativo desta organização. A ESTM, como se pode ler no programa deste curso, pretendeu assim agradecer o seu apoio, as suas iniciativas, o seu critério e a sua qualidade enquanto pessoa.

Convidou-me a ESTM para proferir a apresentação em Memória da Dra Gracinda, convite este que muito me honrou.

Na impossibilidade dos profissionais do IPST estarem presentes, e porque a Dra Gracinda merece de todos nós esta homenagem, resolvi partilhar convosco, com todos vós, a minha apresentação e umas breves palavras, depois de alguns colegas me pedirem que o fizesse.

Devo dizer-vos que foi para mim não só uma enorme honra como também uma enorme emoção fazer esta apresentação e redigir estas palavras. Quero desde já agradecer a todos os que colaboraram, partilhando comigo pedaços da sua vida, da sua imagem e do seu saber, nomeadamente: a sua família João e Teresa, Sandra Xavier, Paulo Pereira, Paula Toscano, Carlos Falcão, Ana Paula Sousa, Leonilde Outerelo, Leandra Coelho e Eunice Aleixo.

Falecida a 13 de Julho de 2018, a Dra Gracinda, para além de uma postura pessoal sempre irrepreensível e pautada pela discrição e integridade, manifestou em todo o seu percurso profissional um saber consistente e um entusiasmo constante por tudo aquilo que considerava os pilares fundamentais da prática médica em geral e da medicina transfusional em particular.

Médica, especialista em Imunohemoterapia foi Diretora do Centro Regional de Sangue de Lisboa (1996 a 2006), trabalhou como clínica na área da transplantação, tendo sido Gestora da Qualidade no Centro de Histocompatibilidade do Sul (2008 a 2011) e concluiu o seu percurso profissional como Vogal do Conselho Diretivo do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (2011 a 2017).

Foi ainda Presidente do Conselho Fiscal da Associação Portuguesa de Imuno-hemoterpia e Presidente do Colégio desta especialidade da Ordem dos Médicos.

Contribuiu de forma indelével para a Medicina Transfusional em Portugal e para alguns dos programas atualmente em curso no IPST.

 Sendo um dos seus principais interesses a Qualidade, foi uma das principais impulsionadoras da implementação do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) no Centro Regional de Sangue de Lisboa, foi Gestora da Qualidade no Centro de Histocompatibiliade do Sul e foi responsável pela harmonização, padronização e implementação de um SGQ comum aos três Centros de Sangue e Transplantação, enquanto vogal do IPST,IP.

Foi responsável pela implementação do Programa Estratégico Nacional de Fracionamento de Plasma com vista ao total aproveitamento de sangue do dador português.

Foi também uma das impulsionadoras do Sistema Português de Hemovigilância, integrando o Grupo Coordenador Nacional, e permitindo a sua consolidação e desenvolvimento de 2011 a 2018. São da sua responsabilidade as principais Circulares Normativas e Informativas no âmbito da Hemovigilância.

Outras duas importantes áreas do seu interesse foram a Formação, tendo sido responsável no início da sua atividade, pelas visitas de estudo ao CSTL, e a Investigação.

No âmbito da Formação foi sem dúvida relevante o seu contributo, em colaboração com o Professor Umberto Rossi, Carmen-Martin-Vega e Eduardo Muniz, para a realização dos cursos Ibéricos da Escola Europeia de Transfusão Sanguínea.

Representou Portugal (2011 a 2017) junto da Comissão Europeia, na reunião das Autoridades Competentes para o sangue e componentes sanguíneos bem como na European Blood Aliance.

Foi em Abril de 2018 medalhada com o grau de ouro da medalha de serviços distintos do Ministério da Saúde, em reconhecimento de todos estes factos.

Foi uma artista de exceção. Foi responsável pelas capas de importantes manuais do IPST. Grande parte das suas obras foram expostas em eventos individuais e coletivos.

Foi acima de tudo um Ser Humano de exceção!

Era uma pessoa Elegante! Tinha gestos suaves, um sorriso tímido, uma elegância natural mas marcante (violeta era a sua cor por opção).

Usava peças diferentes, nomeadamente joias de autor, que sobressaíam na sua figura discreta, esguia, e lhe davam um brilho inigualável.

Era uma artista e a arte estava sempre presente na sua imagem.

Tinha uma enorme elevação interior, interessava-se por filosofia, poesia e praticava yoga.

Tinha um enorme empenho em grandes causas sociais e era uma acérrima defensora de todos os que considerava diferentes, discriminados ou menos apoiados.

Era uma lutadora pela liberdade …

Emocionava-se com a arte ou com o talento!

Sabia ouvir…

Caracterizava –a uma cultura de Serviço público!

Excelente líder, batia-se por tudo aquilo e por todos aqueles em que acreditava!

Deixo-vos, com a autorização da família e da Sandra Xavier, as suas últimas palavras, a sua última reflexão sobre o Amor e a Vida,  e o magnífico poema de Mário Cesariny, com o qual teve o privilégio de privar!

 

Até Sempre Dra Gracinda!

Para sempre Dra Gracinda!

 

    Ama como a estrada começa

 

    Em todas as ruas te encontro

    Em todas as ruas te perco

    conheço tão bem o teu corpo

    sonhei tanto a tua figura

    que é de olhos fechados que eu ando

    a limitar a tua altura

    e bebo a água e sorvo o ar

    que te atravessou a cintura

    tanto, tão perto, tão real

    que o meu corpo se transfigura

    e toca o seu próprio elemento

    num corpo que já não é seu

    num rio que desapareceu

    onde um braço teu me procura

    Em todas as ruas te encontro

    Em todas as ruas te perco

                                            Mário Cesariny

 

        “Porquê este poema?!

        Porque diz tudo o que a vida deve ser.

        Na verdade, a estrada não chega a começar concretamente em lado nenhum.

        Começou um dia,

        um dia em que alguém celebrou o nosso nascimento,

        um dia em que por alegria de viver a vida começou

        mas não se sabe bem onde; quando estamos na estrada, não sabemos de onde ela vem, nem porque vem daí;

        não  sabemos porque tem aquelas curvas, nem porque vem assim … Damos por nós na estrada, e pronto.

 

        Com o amor é parecido: vem não se sabe de onde, nem como, nem porquê.

        E quando reparamos, ele já se instalou …

         De qualquer forma,

        Às vezes estamos na vida porque sim. Nada mais!

        Amar como a estrada começa,

        Diz-nos muito mais do que não permanecermos ligados aos porquês.

        Diz-nos para amarmos como a estrada começa: sem saber o seu caminho,

        Sem deixar que isso nos aprisione, sem que nos prive da liberdade para tentarmos ser felizes,

        Sermos felizes sem reservas, até ao infinito, até ao universo …”


                                                                                Gracinda de Sousa

 

 

 

Formação para o Exterior 2019

 

 

 

 

O IPST, IP tem por missão garantir e regular, a nível nacional, a atividade da medicina transfusional e da transplantação e garantir a dádiva, colheita, análise, processamento, preservação, armazenamento e distribuição de sangue humano, de componentes sanguíneos, de órgãos, tecidos e células de origem humana.

A investigação e a formação são consideradas áreas importantes para o desenvolvimento técnico e científico, sem as quais a disponibilidade de sangue e componentes sanguíneos de qualidade, seguros e eficazes ficará por certo comprometida.  

 Formação para o Exterior 2019   

Caso pretenda fazer a sua inscrição, aceda por favor através deste link - Inscrição

Para eventuais esclarecimentos contacte-nos através do e-mail:  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Dia Nacional da Doação e da Transplantação

Há 50 anos, no dia 20 de julho de 1969, o Prof. Doutor Alexandre Linhares Furtado, nos Hospitais da Universidade de Coimbra, realizava o primeiro transplante renal em Portugal, marcando assim o inicio da história da transplantação no nosso país.

 
Com o objetivo de reconhecer os dadores e suas famílias, os profissionais envolvidos no processo de doação e transplantação bem como recordar à sociedade que a doação de órgãos ajuda a salvar a vida ou contribui para melhorar a qualidade de vida de muitos doentes, o dia 20 de julho, imortalizando o legado do Sr Professor Doutor Linhares Furtado, foi instituído pelo Gabinete de Sua Excelência a Ministra da Saúde, como o  Dia Nacional da Doação de Orgãos e da Transplantação, graças ao esforço conjunto da Sociedade Portuguesa de Transplantação e do Instituto Português do Sangue e da Transplantação.

 

Para assinalar este dia  Instituto Português do Sangue e da Transplantação participou

 

·         No dia 19 de julho, numa organização conjunta do Ministério da Defesa e do Ministério da Saúde, na sessão “Para que outros vivam”, que decorreu na Base Aérea n.º 6, no Montijo.

 

 

 

 

·         No dia 20 de julho, na celebração do 11.º Dia do Transplante, organizada pela Sociedade Portuguesa de Transplantação em colaboração com o IPST, que decorreu no Convento de São Francisco, em Coimbra, sendo prestada homenagem ao Prof. Doutor Alexandre Linhares Furtado.”

 

 

 

 

 

 

 

 

Circular Normativa Nº001/CN-IPST,IP/2019

 

Circular Normativa Nº 001/CN-IPST,IP/2019, de 6 de junho. - Consentimento informado para a doação de órgãos e tecidos post mortem por cidadãos estrangeiros sem residência permanente em Portugal.

 ANEXO I - Registo de consulta ao país de origem sobre a disponibilidade para a dádiva em caso de possível doação de órgãos e tecidos post mortem em cidadãos estrangeiros sem residência permanente em Portugal

ANEXO II – Consentimento informado para a doação de órgãos e tecidos post mortem de cidadãos estrangeiros sem residência permanente em Portugal 

ANEXO II – Informed consent to deceased donation from foreign citizens without permanent residence (versão na língua inglesa)

ANEXO III - Lista de contactos de Organizações Nacionais a ter em consideração para fins da presente Circular

ANEXO IV - Enquiry on possibility to retrieve organs or tissues from Portuguese citizen deceased in a foreign country

Reserva de Espaços

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação,IP dispõe de 3 auditórios para a organização de eventos, tais como: reuniões, seminários, workshops, bem como outras ações de natureza equivalente, pelo IPST,IP, podendo ser utilizados por outras entidades e organismos quando disponíveis.

 

Contactos

Telefone: 21 0063063/4

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Reserva de espaços
Quando pretender efetuar uma pré-reserva de espaço remeta-nos o formulário de reserva ou inclua, no corpo do email, a informação relativa aos items nele incluídos.

 

Normas de utilização dos Auditórios IPST,IP

 

Características dos Espaços

 

Auditório do CSTLiboa - Área da Transplantação Auditório do CSTCoimbra Auditório do CSTPorto - Área do Sangue

Auditório CSTCoimbra

 

Campanha de Sustentabilidade 2018

 

“Pare. Pense. Mude. Pequenos gestos, grandes mudanças”, é o lema da Campanha de Sustentabilidade do Ministério da Saúde.

Esta iniciativa visa estimular a mudança na atitude dos utilizadores dos edifícios públicos do setor da saúde, através da comunicação de mensagens que incentivem a adoção de comportamentos para aumento da eficiência no consumo dos recursos hídricos, energéticos e a redução da produção de resíduos.

 

Campanha Sustentabilidade

 

Medidas SIMPLEX+ 2017 no IPST,IP

 

No domínio das estratégias de modernização preconizadas para o setor da saúde foram implementadas no IPST, IP um conjunto de medidas de simplificação, designadas medidas SIMPLEX, com impacto positivo na vida dos nossos cidadãos, concretamente dos dadores e recetores de sangue, órgãos, tecidos e células, mas também dos profissionais envolvidos neste setor, permitindo uma maior simplificação e desmaterialização dos respetivos processos a par de uma melhoria na interação dos cidadãos com o serviço público prestado pelo IPST, IP.                    

Neste contexto foi implementado durante o ano de 2017, o Registo Nacional de Dadores Sempre Atualizado como medida que configura a possibilidade de atualização automática dos dados relativos aos dadores de sangue, implementando soluções de interoperabilidade entre os diversos sistemas de registo de dádivas de sangue e o registo nacional de utentes, permitindo ainda deixar de utilizar papel nas sessões de colheita com exceção do Consentimento Informado. Visando uma gestão mais eficiente do setor foram propostas diversas ações estratégicas, de cuja concretização e resultados atingidos merecem destaque: a aprovação e publicação do Despacho n.º 1649/2017, de 21 de fevereiro, a publicação de um Regulamento, Manual de Utilizador e divulgação de restantes normas do IPST, IP junto dos hospitais e a consequente interligação entre hospitais e IPST, IP nos hospitais que já dispõem do ASIS nos seus serviços de sangue.

Neste âmbito da desmaterialização, foi também desenvolvida uma aplicação (App) móvel relativa ao Registo Português da Transplantação, designada RPT Mobile. O RPT Mobile é uma aplicação móvel para dispositivos iOS e Androide que permite o suporte à atividade dos profissionais de saúde integrantes do ecossistema português da transplantação. As suas funcionalidades principais consistem no fornecimento de informações sobre os procedimentos de avaliação colheita e transplantação aos diferentes intervenientes do processo; o envio de notificações aos diferentes intervenientes do processo em pontos críticos do mesmo e o envio de fotografias dos órgãos e/ou tecidos colhidos para o backoffice do RPT para informação atempada sobre o aspeto macroscópico do órgão para as equipas que irão realizar o transplante. O RPT Mobile mostra informação especializada para o perfil e para as atribuições específicas de cada utilizador, acrescentado uma componente móvel,  de acesso rápido e fácil a cada tipo de utilizadores.

Esta aplicação permite aos profissionais de saúde, em qualquer momento e em qualquer lugar, seguirem os principais eventos que ocorrem num processo de doação e transplantação de órgãos, notificando o utilizador e mantendo-o informado da evolução dos processos que estão a ocorrer no seu hospital.

Enquanto sistema de alertas e notificação de eventos, possibilita não só uma gestão de processos em simultâneo mas também uma maior acessibilidade à informação concorrendo para uma maior rapidez do processo.  O sistema de notificações e o dispositivo móvel disponibilizado permite ao profissional de saúde monitorizar o cumprimento de tarefas e atividades e aceder à evolução do processo de doação e transplantação em tempo real, possibilitando o acesso à base de dados original em tempo útil, promovendo a necessidade de concretização da atividade seguinte no circuito da doação, colheita e transplantação.

 

Proteção de Dados

 

 

A aprovação do Regulamento (UE) N.º 2016/679, de 27 de abril de 2016 , relativo à proteção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais e à livre circulação desses dados, designado Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD),  vem revogar a Diretiva 95/46/CE 


Em cumprimento do disposto no artigo 37º do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD), o Instituto Português do Sangue e da Transplantação designou um Encarregado da Proteção de Dados (EPD), estando disponível o endereço eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. para eventuais pedidos de informação ou de esclarecimentos

Consulte aqui informação sobre o RGPD disponibilizada pela Comissão Nacional de Proteção de Dados, incluindo a secção de FAQs para dar resposta a perguntas mais frequentes

Atividade do Contact Centre (CC) do IPST,IP

Informamos que o Contact Centre (CC) do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, tem efetuado contactos telefónicos a dadores que efetuaram a sua última dádiva há mais de um ano. Este contacto é feito sob a forma de convite e tem como principal objetivo relembar a data em que o dador fez a sua última dádiva, convidando-o a programar a próxima.

Para além dos resultados a longo prazo traduzidos numa fidelização do dador ao IPST,IP esperamos contribuir para o aumento das dádivas neste período, contrariando a tendência desta época do ano.

Este contacto não permite a devolução da chamada (21 352 41 32).

Loading...