Dia Mundial do Dador de Sangue 2020

A 14 de junho, data em que se comemora o Dia Mundial do Dador de Sangue, o Secretário de Estado da Saúde, Dr António Lacerda Sales, reforçou o papel de todos na dádiva de sangue. Dê Sangue. Este gesto salva vidas!


Veja aqui o vídeo com a mensagem do Senhor Secretário de Estado da Saúde.

 

 

 

 

 

Dia Mundial do Dador de Sangue | 14 de Junho 2020

 

No próximo dia 14 de junho a OMS – Organização Mundial da Saúde e todos os países celebrarão o Dia Mundial do Dador de Sangue.

A necessidade de sangue seguro é universal. Este é essencial para tratamentos e intervenções urgentes; pode ajudar os doentes com patologias que ameaçam a sua vida a viver mais tempo, com mais qualidade de vida e apoia procedimentos médicos e cirúrgicos de grande complexidade. O sangue é também vital para o tratamento de feridos decorrentes de vários tipos de emergência (desastres naturais, acidentes, conflitos armados, etc.) e é ainda essencial para salvar vidas na prestação de cuidados neonatais e na maternidade.

Porém, o acesso a sangue seguro é ainda um privilégio de poucos. A maioria dos países não desenvolvidos ou em vias de desenvolvimento luta para que este esteja acessível, porque o número de dádivas é baixo e o equipamento para testar o sangue é escasso. Globalmente, 42 % do sangue é colhido nos países desenvolvidos, o que representa apenas 16% da população mundial.

O fornecimento adequado de sangue seguro apenas pode ser garantido através de dádivas regulares feitas por dadores voluntários e não remunerados. Esta é a razão pela qual a Assembleia da OMS, em 2005, designou um dia especial para agradecer aos dadores e encorajar mais pessoas a dar sangue altruisticamente. O Dia Mundial do Dador acontece anualmente a 14 de junho. Além de agradecer aos dadores de sangue, é o dia em que se pretende aumentar a consciência para a necessidade de sangue seguro e como todos podem contribuir para esta causa.

As dádivas de sangue são necessárias em todo o mundo para garantir que cada pessoa e respetivas comunidades têm acesso a sangue e componentes sanguíneos seguros, de qualidade certificada, nas situações de rotina e nas de emergência. Através desta campanha, apelamos a que mais pessoas em todo o mundo possam salvar vidas, voluntariando-se para dar sangue regularmente.

O tema escolhido para este dia é também um apelo para a ação dos Governos, das Autoridades Nacionais de Saúde e dos Serviços de Medicina Transfusional para que garantam os recursos adequados e desenvolvam sistemas e infraestruturas para aumentar a colheita de sangue de dadores voluntários e não remunerados, prestando serviço de qualidade aos dadores, promovendo e implementando medidas para a adequada utilização clínica do sangue e que criem sistemas de supervisão, controlo e vigilância em toda a cadeia da transfusão sanguínea.

Os objetivos da Campanha deste ano são:

  • Comemorar e agradecer a todos os Dadores e encorajar mais pessoas para começarem a dar sangue;
  • Criar uma maior consciência para a necessidade urgente de aumentar a disponibilidade de sangue seguro, para ser usado quando e onde for necessário para salvar vidas;
  • Demonstrar a necessidade do acesso universal a transfusões sanguíneas seguras e defender o seu papel, na prestação de cuidados de saúde eficazes e de cobertura universal;
  • Mobilizar o apoio a nível nacional, regional e global, entre Governos e outros parceiros, para investir, reforçar e sustentar os programas nacionais na área do sangue.

O envolvimento e apoio de todos ajudará a garantir um maior impacto do Dia Mundial do Dador de Sangue em 2020, aumentando o reconhecimento a nível mundial de que dar sangue é um ato solidário que salva vias e que serviços que forneçam sangue e componentes sanguíneos seguros, são essenciais em qualquer Serviço Nacional de Saúde. A participação de parceiros com interesse direto nesta causa é bem-vinda a todos os níveis, para fazer do Dia Mundial do Dador de Sangue 2020  um sucesso.

Organizações Internacionais, incluindo a Organização Mundial de Saúde, a Federação Internacional da Cruz e Crescente Vermelho, a Federação Internacional das Organizações de Dadores de Sangue e a Sociedade Internacional da Transfusão Sanguínea, entre outras, continuarão a trabalhar em estreita colaboração para orientar e apoiar os seus membros neste esforço.

Exortamos todos a juntarem-se a esta causa, para que o acesso a sangue seguro se torne uma realidade para todos.

Este ano, devido à atual situação de pandemia de Covid-19, a OMS fará uma campanha mundial digital.

 

 

 

Medidas SIMPLEX IPST | Transfusões e Transplantes integrados

No domínio das estratégias de modernização preconizadas para o setor da saúde foram implementadas no IPST um conjunto de medidas de simplificação, designadas medidas SIMPLEX, com impacto positivo na vida dos nossos cidadãos, concretamente dos dadores e recetores de sangue, órgãos, tecidos e células mas também dos profissionais envolvidos neste setor, permitindo uma maior simplificação e desmaterialização dos respetivos processos a par de uma melhoria na interação dos cidadãos com o serviço público prestado pelo IPST.

É neste contexto que surge a medida Transfusões e Transplantes Integrados, associada ao projeto Consolidação dos Sistemas Informáticos do IPST. Representando um importante passo da instituição na modernização administrativa, esta medida agora concluída envolveu diversos agentes da área de atividade do IPST, com resultados e benefícios muito concretos aqui testemunhados em primeira mão:

Mafalda Ribeirinho, assessora do Conselho Diretivo responsável pela Gestão de Projetos explica: “Até então, os principais sistemas informáticos nas áreas de atuação do IPST (ASIS, LUSOT, RPT e BPCCU), onde estão registados dados das diferentes atividades num processo clinico ou laboratorial associado, não comunicavam entre si, obrigando a uma transmissão verbal da informação a partilhar, com todos os riscos associados. Através desta medida SIMPLEX, recorrendo a uma plataforma de interoperabilidade que permite a interação destes sistemas entre si, desenvolveram-se processos de circulação de dados entre o ASIS e o LUSOT / RPT / BPCCU, para que os resultados das análises efetuadas em cada uma das atividades indispensáveis a outra atividade no quadro do IPST, fossem consolidados no âmbito da rede física e lógica existente. Com a promoção da circulação da informação de forma automática entre as várias atividades, foi possível desmaterializar a circulação de documentos em papel para efeitos administrativos e reduzir os riscos para a segurança dos doentes associados à deficiente circulação de informação. A conclusão desta medida reflete-se ainda numa melhoria na articulação de cuidados de saúde, com mais informação e maior comodidade para o cidadão/profissionais de saúde traduzindo maior qualidade e segurança na prestação de cuidados."

Catarina Bolotinha da Coordenação Nacional de Transplantação, enquanto Gestora do Projeto, refere que “A transferência automática de informação sobre grupo sanguíneo, virologia ou sobre os doentes necessários colocar em crossmatch para um determinado processo de alocação de órgãos, contribui assim para uma maior segurança, transparência e robustez das atividades de medicina transfusional e de transplantação em Portugal. Não podemos deixar de assinalar a satisfação com a sua implementação, cujo sucesso se deve essencialmente à excelente colaboração entre os profissionais do IPST e dos Hospitais do SNS no seu desenvolvimento, contribuindo para uma correta adequação à atividade nacional.”

Por seu turno, Sandra Tafulo da área da Transplantação do Centro de Sangue e Transplantação do Porto, salienta que “A medida SIMPLEX Transfusões e Transplantes Integrados, entre o Registo Português de Transplantação (RPT) e base de dados da LusoTransplante (LusoT) é uma enorme mais-valia ao permitir que as unidades de transplantação (UTR) façam a inscrição online de candidatos a transplante, o que até então era efetuado via fax. Este registo online numa plataforma segura permite, através da aplicação de circulação de dados LusotApp, a importação automática do registo do(s) candidato(s) para o LusoT, deixando de ser necessária a circulação de papel e a transcrição manual dos dados do(s) doente(s). A circulação de dados permite ainda a inscrição automática na LusoTransplante dos dadores de órgãos referenciados pelos GCCT, obviando mais uma vez a necessidade da transcrição de dados manualmente, e o envio por parte dos CST da lista de candidatos a transplante por ordem de pontuação prevista na legislação Portuguesa. Esta plataforma permite o envio dos dados dos candidatos, e a análise de risco imunológico efetuada pelos CST, de uma forma segura e transparente. Para além disso, a medida SIMPLEX Transfusões e Transplantes Integrados permite ainda o envio de resultados de grupos sanguíneos efetuados no CSTP-S na base de dados da LusoTransplante.

A nível hospitalar, Tiago Nolasco da Unidade de Transplantação Cardíaca do Hospital de Santa Cruz - Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental sublinha que “O RPT online, com a implementação da Medida SIMPLEX Transfusões e Transplantes Integrados, tem-se tornado uma enorme mais-valia e uma ferramenta progressivamente mais essencial. Desde a gestão dos nossos doentes em lista de espera, à importantíssima consulta em tempo real e pelos vários intervenientes de todos os dados e exames das ofertas/transplantes assegurando toda a proteção necessária, e ainda ao Follow-up de todos os nossos doentes transplantados. Tem permitido agilizar e facilitar a comunicação entre os diferentes centros e os gabinetes de coordenação, aumentando a eficiência e transparência de todo o processo de transplantação. Obrigado!”

 

EstamosON

 

 

O Governo lançou o site covid19estamoson.gov.pt/ com o objetivo de apresentar numa plataforma única todas as informações relevantes sobre as medidas de prevenção e contenção do novo coronavírus.

Este site pretende ser um guia prático para apoiar cidadãos, famílias e empresas no combate aos efeitos causados pelo COVID-19, dando-lhes a conhecer todos os apoios disponibilizados, bem como a documentação necessária – nomeadamente os formulários que devem preencher – para a efetivação dos seus direitos.

Assim, cidadãos, escolas, serviços públicos e empresas poderão ter os instrumentos necessários para prosseguir as suas atividades da forma mais eficiente possível tendo em conta a excecionalidade do momento que atravessamos.

Nesta plataforma, o utilizador pode também ficar a conhecer a melhor forma de recorrer aos serviços públicos sem ter de se deslocar.

O site covid19estamoson.gov.pt/ apresenta ainda as medidas excecionais adotadas pelo Governo em cada área governativa e responde, de uma forma clara, simples e direta, às dúvidas que as mesmas possam suscitar. Estão também disponíveis para consulta a legislação especificamente aprovada, as diferentes comunicações do Governo nesta matéria e o mapa que regista a evolução epidemiológica do país.

Disponibilizada a lista completa, consolidada e fidedigna dos contactos de emergência e de apoio criados pelos diversos serviços públicos no âmbito do combate a esta pandemia.

 

 

Carta para a Participação Pública em Saúde

 

A Lei n.º 108/2019 de 9 de setembro  aprova a "A Carta para a Participação Pública em Saúde", e pretende  «fomentar a participação por parte das pessoas, com ou sem doença e seus representantes, nas decisões que afetam a saúde da população, e incentivar a tomada de decisão em saúde assente numa ampla participação pública».

«Pretende ainda promover e consolidar a participação pública a nível político e dos diferentes órgãos e entidades do Estado, em Portugal, através do aprofundamento dos processos de participação já existentes e da criação de novos espaços e mecanismos participativos».

Deste modo, a Carta contribui para «promover e defender os direitos das pessoas com ou sem doença, em especial no que respeita à proteção da saúde, da informação e da participação» e  «informar as entidades públicas sobre as prioridades, necessidades e preocupações das pessoas com ou sem doença e seus representantes».

«Tornar as políticas de saúde mais eficazes e, consequentemente, obter melhores resultados em saúde, promover a transparência das decisões e a prestação de contas por parte de quem decide, aproximar o Estado e a sociedade civil, aprofundando o diálogo e a interação regular entre ambos e legitimar as decisões sobre a avaliação custo-efetividade  e os dilemas éticos colocados pelas inovações técnológicas » são outros objetivos da Carta.

 

Para saber mais consulte a Carta para a Participação Pública em Saúde aqui

Proteção de Dados

 

 

A aprovação do Regulamento (UE) N.º 2016/679, de 27 de abril de 2016 , relativo à proteção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais e à livre circulação desses dados, designado Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD),  vem revogar a Diretiva 95/46/CE 


Em cumprimento do disposto no artigo 37º do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD), o Instituto Português do Sangue e da Transplantação designou um Encarregado da Proteção de Dados (EPD), estando disponível o endereço eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. para eventuais pedidos de informação ou de esclarecimentos

Consulte aqui informação sobre o RGPD disponibilizada pela Comissão Nacional de Proteção de Dados, incluindo a secção de FAQs para dar resposta a perguntas mais frequentes

Loading...