Colheita de Órgãos para Transplantação é tema de formação do INEM

Com a colaboração do INEM, através da atuação das Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação, foi implementado um projeto-piloto com a duração de um ano, destinado a otimizar a doação de órgãos provenientes de dador em paragem cardiocirculatória refratária, no Centro Hospitalar Universitário de S. João, EPE, em 2016. Findo este, deu-se a integração do programa na atividade normal, que, devido ao sucesso alcançado, foi alargado em 2017 ao Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, E.P.E. (CHLC, E.P.E.) e ao Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte, E.P.E. (CHULN, E.P.E.) (Despacho n.º 9063/2017 ).

Em 2018 ficou concluída a fase piloto nestes dois últimos Centros Hospitalares, passando este tipo de colheita a ser integrado na sua atividade, de acordo com o preconizado no Despacho n.º 9731/2018.

Ainda no mesmo documento, procedeu-se ao alargamento da implementação do referido projeto-piloto ao Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, E.P.E. (CHUC, E.P.E.), a partir de 2 de janeiro de 2019, dada a importância de “continuar a investir em políticas de saúde na área da transplantação que permitam aumentar o número de órgãos disponíveis para transplantação e, consequentemente, o número de transplantes em Portugal.

Neste contexto, e dando seguimento à referida implementação no CHUC, E.P.E., o Instituto Nacional de Emergência Médica, I.P. (INEM, I.P.), através do seu Centro de Formação da Delegação Regional do Centro, em parceria com o Serviço de Medicina Intensiva do CHUC, E.P.E., promoveu um conjunto de ações de formação sobre os procedimentos inerentes à correta operacionalização deste programa, nomeadamente toda a contextualização dos operacionais das Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER) e a sua correta e eficaz articulação com o CHUC, E.P.E., considerando o encaminhamento em segurança dos doentes.

Loading...
Loading...